Início Política

Casos de Covid-19 em escola de Niterói resultam em briga política

0
Institução afirma que, desde janeiro, 11% de todos os profissionais que trabalham na unidade foram diagnosticados com Covid-19. Foto: Marcelo Tavares

A morte de um homem de 42 anos — que trabalhava para um tradicional colégio particular da Zona Sul de Niterói — causada por complicações da Covid-19, motivou acusações do vereador professor Tulio (Psol), que denuncia um surto de proliferação da doença na escola. As acusações provocaram um embate nas redes sociais reacendendo a questão envolvendo a reabertura das escolas no município.

A vítima, Wanderli Antunes, fazia parte da manutenção do colégio La Salle Abel, localizado na Avenida Roberto Silveira, desde 2013. Antunes estava afastado por motivos de saúde não relacionados a Covid-19 desde o dia 8 de janeiro, segundo informou a direção da escola. Durante a licença médica, ele contraiu o vírus, que trouxe complicações e motivou o falecimento na última sexta-feira (4).

Segundo a escola, cerca de 11% do total de colaboradores de todos os setores, entre docentes e administrativos, já testaram positivo para a doença de janeiro a junho, e todos foram afastados no tempo necessário. A instituição justifica ainda que os colaboradores apresentaram sintomas leves e sem grandes complicações.

Mas o vereador psolista, que é professor e contra o retorno das aulas, segundo ele, até que todos os profissionais de educação e alunos sejam vacinados no município, garante ter recebido denúncias de um surto de Covid-19 na escola desde janeiro.

Com base nas denúncias, o parlamentar relata ter feito visita de fiscalização, que resultou em um ofício encaminhado ao Ministério Público, que recebeu apoio dos parceiros de partido, o deputado estadual Flavio Serafini e o vereador de Paulo Eduardo Gomes.

“Eu acionei o MP para intervir na situação. Vamos defender a vida de profissionais da instituição. Minha solidariedade aos familiares. É fundamental que a comunidade escolar saiba do falecimento de um funcionário”

Questionado, o Ministério Público afirma que ainda apura o recebimento do ofício.

Embate

Seguindo por outro caminho, a ex-candidata à Prefeitura de Niterói, Juliana Benício (NOVO), que é gestora educacional, defende que a escola ‘não seja usada de bode expiatório para políticos oportunistas em busca de palanque’. Ela pediu para que ‘respeitem a história dessa escola que muito contribuiu para a formação digna de milhares de niteroienses’.

Segundo o parlamentar Tulio, da Câmara de Niterói, ‘quem luta pela vida de educadores não é oportunista’. Em resposta à colega Juliana, professor Tulio reafirma ter recebido inúmeras denúncias desde janeiro. Ele é vice-presidente da Comissão de Educação, mas as denúncias teriam ocorrido de maneira específica ao mandato.

O Colégio La Salle Abel esclarece que o surto se configura quando o segundo caso confirmado de Covid-19 é detectado em duas pessoas que fazem parte da mesma turma dentro de um intervalo de 2 a 14 dias, e que sendo assim a turma é suspensa preventivamente por 14 dias. Também explicou que caso duas turmas sejam suspensas no mesmo turno, então todas as turmas desse mesmo turno são suspensas preventivamente.

‘Já tivemos casos pontuais em outras turmas de outros segmentos, ocasionando a suspensão das aulas presenciais pelo período de 14 dias, conforme orientado pela Vigilância Epidemiológica, que acompanha e monitora todos os nossos casos suspeitos e confirmados’.

O gabinete do vereador psolista Tulio teve acesso a dois comunicados enviados pela direção da referida escola no dia 31 de maio indicando que dois estudantes testaram positivo para a Covid-19, sendo um aluno da 3ª série, turma A; e um aluno da 1ª série, turma B.

O primeiro manteve contato com a turma, pela última vez, no dia 26 de maio (quarta-feira), revela o comunicado. Já o segundo, manteve contato com a turma, pela última vez, no dia 21 de maio (sexta-feira).

A escola afirma aos pais que conforme o Programa de Retomada da Prefeitura de Niterói, ‘destacamos que a Vigilância Epidemiológica Municipal já foi notificada e está acompanhando o caso’.

No documento, também é pedido aos responsáveis que caso o filho(a) apresente sintomas, procure imediatamente um atendimento médico e faça comunicação através de e-mail interno.

Em relação ao colaborador Wanderli Antunes a escola afirma estar consternada e em luto com a perda. E que os demais casos de colaboradores tiveram sintomas leves e sem grandes complicações.



Fonte