Início Destaque

Em solenidade lotada e emocionante, Câmara homenageia a Banda Cristo Redentor

0

“A Banda Marcial Cristo Redentor faz parte da identidade de Três Lagoas, como a Lagoa e o Cristo”. Com esta frase, a secretária municipal de Assistência Social, Vera Helena definiu o sentimento que a comunidade três-lagoense tem em relação ao projeto social musical que há 52 anos encanta a cidade, abriga jovens e amealha prêmios. A frase foi proferida na sessão solene de homenagem à banda e componentes, realizada na noite de segunda-feira (11), pela Câmara Municipal, por propositura do vereador Tonhão. A solenidade foi prestigiada por familiares e amigos de integrantes da banda, lotando o plenário da Casa com alegria e emoção.

A mesa de autoridades foi composta pelo vereador Tonhão, proponente da sessão, pela secretária de Assistência Social, Vera Helena, que representou o prefeito Ângelo Guerreiro, pela coordenadora do Crase Coração de Mãe, Nilce Figueiredo, pelo presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio, Eurides Silveira de Freitas, e pelo maestro e coordenador da banda, Luiz Carlos Relíquias e não faltaram animadas apresentações da banda.

Ao abrir a sessão, o vereador Tonhão cumprimentou a todos os atuais e ex-integrantes da banda e destacou que, pesquisando, constatou que a instituição nunca havia sido homenageada na Câmara, apesar de ativa e ter uma história brilhante.

Foi lido um pequeno histórico da Cristo Redentor, fundada a partir da guarda mirim, em 1967, com 45 meninos, pelo comandante Átila Rodrigues Falcão. No ano seguinte, houve o crescimento transformando-se em banda marcial. Eram 36 integrantes. Aos poucos, o grupo foi conquistando notoriedade, tornando-se campeão em diversos anos, de vários torneios e festivais dos quais participou, como no Parque do Ibirapuera e no Vale de Anhangabaú, na capital paulista. Também foi campeã estadual em todos os anos que o Estado de Mato Grosso do Sul promoveu o concurso (91, 92, 96, 97, 98, 99, 2002, 2003 e 2004). Tri-campeã nacional, em 2007, gravou CD em comemoração aos 40 anos de fundação. Ainda foi vitoriosa em diversos concursos nacionais de bandas e fanfarras.

Atualmente, a banda é um serviço de convivência e fortalecimento de vínculos, ligado ao CRAS São João, atendendo 220 crianças e adolescentes, a partir dos 11 anos.

O maestro e coordenador da banda, Luiz Carlos Relíquias quebrou o protocolo e agradeceu a todos os integrantes e à prefeitura pelo empenho em manter o projeto, garantindo a estrutura necessária para o atendimento social e cultural. Também relatou as dificuldades e empenho que cada membro dedica ao projeto, seja no dia-a-dia, seja nas viagens e concursos que participam. Ainda agradeceu a homenagem recebida.

Falando em nome dos integrantes, o advogado Claiton Alves, conhecido como doutor Claitinho, descreveu a alegria e orgulho que todos sentem por um dia ter participado do que chamou de ‘família Cristo Redentor”.
“ A banda possui várias facetas e camadas: a primeira, a de conhecimento de todos, é a que faz apresentações, como o clássico encerramento do aniversário da cidade. Aprofundando, tem uma camada da finalidade de social de formar cidadãos por meio da música; tem ainda a banda musical que se destaca pelo profissionalismo e competência, ganhando prêmios; tem uma parte que é sua repercussão na cidade; no centro das camadas, tem a banda família que tanto ajudou jovens a terem várias carreiras, artísticas ou não, que atuam no mercado com conduta ilibada e profissionalismo, devido à disciplina que aprenderam na banda. A Cristo Redentor afeta diretamente a vida, com amizades que perduram pela vida inteira. Hoje, filhos de ex-integrantes fazem parte do programa. Quero expressar o agradecimento à Câmara, pelo reconhecimento, e à administração municipal, por mantê-la viva para que futuras gerações possam vivenciar. Sempre terão nossa eterna gratidão”, afirmou.

Francisco Antunes, ao discursar representando a velha guarda, relatou seu prazer em ser um dos primeiros integrantes. “Agradeço a Deus e ofereço esta homenagem a todos os ex-guardas-mirins que participaram do início da banda”.

A secretária de Assistência Social, Vera Helena, ressaltou o espírito de família e de união. “Agradeço ao Tonhão pela alegre e honrosa homenagem”, disse. Ela frisou que a administração municipal tem total compromisso com os diversos programas sociais, sobretudo a banda. “Na medida do possível, apoiamos tudo e estamos implantando melhorias e o prefeito vai cumprir o compromisso de construir uma sede própria”, afirmou. Vera ainda contou que a banda tinha uma média de 60 apresentações anuais e, neste ano, já fez 127 apresentações. Por fim, Vera concluiu que a banda faz parte da identidade de Três Lagoas.

Após afirmar que é um apaixonado pela música, o vereador Tonhão se lembrou, com orgulho, das vezes que desfrutou das apresentações. “Sempre enalteci e cobrei melhorias e apoio e, agora, muitas indicações estão saindo do papel e virando realidade. Quando vejo uma apresentação, sinto vibração positiva, alegria, a emoção de que banda é nossa, que é fruto do amor e dedicação de quem já vestiu a farda, segurou os instrumentos e estandarte”.

Para o vereador, a solenidade de homenagem foi a oportunidade de resgate histórico deste projeto que, segundo ele, tem a missão de transformar vidas. “A banda envolve toda a família e sentimentos que extrapolam a esfera do poder público; entra na família, no amor, na emoção, e cumpre com seus papéis.” O vereador apenas lamentou e explicou que, por questões legais, não teve como entregar moção de congratulação a todos que, em sua opinião, mereceriam. “Peço a todos, indistintamente, que sintam-se homenageados. Cumpro o papel de vereador de enaltecer quem faz diferença e promove desenvolvimento, como todos vocês, por meio da banda”, concluiu.