Início Política

Prefeitura entrará 2021 com 1 bilhão em caixa, diz Roberto Cláudio – Política

0

Em reunião com o secretariado, ontem, em Fortaleza, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) destacou o cenário positivo nas contas públicas da Prefeitura. Ao lado do prefeito eleito, Sarto Nogueira (PDT), o Chefe do Executivo Municipal disse que vai passar o bastão na gestão com R$ 1 bilhão de recursos em caixa para investimentos. 

Um dos desafios da nova gestão é a economia, que foi muito impactada pela pandemia da Covid-19. Em meio à crise, a geração de emprego se tornou uma das principais demandas da população, não à toa os candidatos nestas eleições municipais focaram em propostas voltadas para a questão do emprego e renda. 

Segundo o prefeito Roberto Cláudio, os últimos dois anos são os primeiros, em duas décadas, que a Prefeitura alcança o superávit, ou seja, um resultado positivo de todas as receitas e despesas do governo. 

“Foi o primeiro ano em 2018 e 2019 que o Município acumulou poupança. Isso quer dizer o quê? Depois de pagar todas as despesas, depois de fazer todos os investimentos, quando fechou a contabilidade, a gente ficou com dinheiro em caixa. Só para ter uma ideia o Brasil vai fechar com um déficit primário de R$ 1 trilhão”, disse. 

Já Fortaleza, continuou o Chefe do Executivo Municipal, terminou os últimos dois anos sem despesas pendentes de pagamento. 

“Quando a gente chegou na Prefeitura nós recebemos um passivo de mais R$ 500 milhões. Isso quer dizer: despesas existentes sem o devido recurso para poder pagá-la. Em relação a isso, a gente vai deixar a Prefeitura sem dívida concreta e com um caixa de investimento em torno de R$ 1 bilhão”.

Investimento 

Roberto Cláudio apontou que esse recurso é para concluir obras em andamento e construir novas que, “eventualmente, o futuro prefeito decida fazer”. O atual prefeito, no entanto, ressalta que os desafios na área econômica continuam. Ele lembra que as receitas — dinheiro arrecadado — do Município caíram, neste ano, por causa da pandemia. 

“Não há sinalização de uma melhora significativa. A gente vai viver o rescaldo deste ano, como também ainda é um desafio de poder reorganizar a confiança na economia, no próximo ano, e por essa razão é que a gente está trazendo para essa reunião e na comissão de transição algumas preocupações que a gente tem em relação à economia e o impacto no dia a dia do município”. Roberto Cláudio, porém, não detalhou as questões. Ele e o prefeito eleito Sarto Nogueira se reuniram com os 18 secretários do Município, em um hotel em Fortaleza, para um balanço da atual gestão. 

Ao lado de Sarto, o gestor municipal disse, em tom de aconselhamento, que a austeridade fiscal é uma prática que deve ser buscada ao longo de todo o Governo. “Austeridade não é um fim em si mesmo, é um meio e ela não se pratica só no começo do governo. A gente pratica ela todo dia, a economia estando bem, médio ou mal”, disse. 

Receitas 

Apesar do impacto da pandemia na receita do município, Fortaleza teve um crescimento de 32% na arrecadação, entre 2013 e 2019. De acordo com o Portal da Transparência da Prefeitura, em 2013, a Receita Corrente Líquida da Capital foi de R$ 1,02 bilhão. No ano seguinte, a arrecadação subiu para R$ 1,2 bilhão.

Em 2015, a receita subiu para R$ 1,3 bilhão. Já em 2016 foi para R$ 1,5 bilhão. Em 2017, a arrecadação se manteve nesse patamar. Em 2018, a Receita foi para R$ 1,8 bilhão e, no ano passado, chegou a R$ 2,03 bilhões. Essa alta na arrecadação nos últimos anos contribuiu para uma situação favorável da gestão. A retomada da economia, em meio à pandemia, é uma das preocupações de Sarto, ao lado de outros temas como o combate à pandemia e a retomada das aulas nas escolas públicas. 

“Dinheiro não aguenta abuso. Então, a gente tem que ter muito cuidado na gestão porque ele vai embora bem facinho se você não cuidar direito. E com uma gestão de quatro anos a gente espera que a economia responda para que a gente possa ter mais recursos para investir”, citou. 

Indefinição da nova gestão

A menos de 20 dias para assumir a Prefeitura de Fortaleza, Sarto Nogueira (PDT), faz mistério sobre a composição da nova gestão. Ainda não se sabe se o pedetista vai aproveitar algum secretário da atual administração do prefeito Roberto Cláudio (PDT). Ao todo, existem 18 secretários. 

“Nomes podem ser aproveitados, mas nomes não tenho ainda. A gente vai elaborar essa etapa de transição. Vamos ter diagnóstico completo de secretaria por secretaria, órgão por órgão e, depois desse detalhamento, vamos passar para a última etapa e ver quem traduz o perfil para executar a política específica daquele órgão”. 

Questionado sobre a possibilidade de convidar vereadores da base aliada na Câmara Municipal para compor o secretariado, Sarto disse apenas que existem “muitos vereadores qualificados”. 

“A Câmara avançou. Estou conversando indistintamente com todos. Já conversei com muitas bancadas e existem muitos vereadores qualificados, que podem ser aproveitados para contribuir com o Executivo”. 

A expectativa é grande entre os vereadores aliados para compor a gestão, como mostramos aqui no Diário do Nordeste, principalmente, entre os vereadores que não foram reeleitos. Inclusive, alguns parlamentares, como o presidente da Câmara Municipal, vereador Antônio Henrique (PDT), e o líder do prefeito, vereador Ésio Feitosa (PSB), marcaram presença na reunião. 



Quero receber conteúdos exclusivos sobre política




Fonte