Início Esporte

Rodrigo Caetano desconhece negócio sobre saida de Sampaoli e comenta dificuldade em ter Nacho Fernández – Esportes

0

O ímpeto do Atlético-MG no mercado da bola em 2021 tem chamado atenção dos rivais mais uma vez. O alvinegro já fechou a contratação de dois reforços, do atacante Hulk e de Dodô, para a lateral-esquerda.

E, se o torcedor pensa que o time mineiro parou por aí, se enganou. O Galo está negociando a vinda do meia Nacho Fernández, de 31 anos, que pertence ao River Plate, da Argentina. É um jogador “especial” na visão de Jorge Sampaoli, mas com alto valor financeiro para o clube, cerca de R$ 37 milhões para adquirir seus direitos econômicos.

Mas, o movimentado mercado alvinegro não sido apenas focado no apetite atleticano em reforçar o elenco. Há também a possibilidade do comandante da trupe e artífice do projeto ambicioso do clube, Jorge Sampaoli, ser seduzido por uma proposta do Olympique de Marselha, da França.

O diretor de futebol do Galo, Rodrigo Caetano, comentou sobre Nacho e Sampaoli, que tem contrato com o alvinegro até o fim deste ano e conta com o desejo da diretoria em estender o vínculo.

Caetano diz que não chegou nada ao Atlético e que uma saída do técnico não está sendo tratado no momento, com o argentino seguindo o planejamento para a temporada 2021.

VEJA COMO ESTÁ A BRIGA DO GALO PELO TÍTULO BRASILEIRO

-Obviamente, para nós, não veio nada. Não vejo nem sentido que esse contato viesse no Galo. Se houve, foi para ele ou staff. Não conversei com ele sobre. A gente só conversa de planejamento, próximo jogo, projeções, último jogo. Da forma planejada. Essas são as conversas com ele. Então, desconheço – disse Rodrigo Caetano em entrevista à Rádio Super.

Já sobre Nacho Fernández, Rodrigo Caetano,afirmou que há entraves para que o negócio se concretize.

– Qualifico ele, nos últimos três anos, como um dos jogadores de maior referência técnica. Em 2018, campeão da Libertadores. Em 2019, vice-campeão. E agora, em 2020/21, semifinalista, numa equipe que é referência na América do Sul, que é o River Plate. Minha admiração pelo futebol dele e até por ele próprio, porque já falei algumas vezes, é imensa. Nosso treinador da mesma forma. Mas a gente está longe de ter uma situação concretizada. São negociações difíceis, e às vezes as pessoas colocam com uma facilidade que às vezes nos causa estranheza. É minha obrigação fazer contatos, consultas, tentar ver a viabilidade de cada uma dessas operações – disse, para em seguida comentar que a possível vinda do meia elevaria o nível do grupo atleticano.

– Como já existe uma base de time, a ideia é trazer atletas que ou sejam uma carência do grupo, ou venham agregar uma qualidade maior ainda do que já temos. O Nacho, acho que faz parte dessa prateleira. Se vai ser possível ou não, é outra história. É o que posso falar no momento. Não dá pra falar nome de A, B ou C sem estar concretizado, e posso afirmar que não tem situação definida em relação a esse atleta. A gente vai estar sempre em busca, principalmente neste momento que o Galo vive, de atletas que venham pra agregar mais qualidade ainda. Tomara que a gente possa dar mais notícias positivas em relação aos reforços, mas não tenho como garantir isso neste momento – concluiu.

Fonte